Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/10/19 às 12h32 - Atualizado em 22/10/19 às 13h58

VEM DF pretende estimular uso de carros elétricos entre a população

COMPARTILHAR

Projeto resultou em investimento de R$ 2,1 milhões por parte da iniciativa privada, com custo zero para o governo. Previsão é de economia de R$ 8 milhões para o GDF, por meio do compartilhamento de veículos para os servidores.

 

 

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, lançou hoje (7), no Palácio do Buriti, o projeto VEM DF, de compartilhamento de carros elétricos para frotas públicas. A iniciativa, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e do GDF por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, também conta com o apoio da Secretaria de Projetos Especiais.

 

Tem previsão de gerar economia da ordem de R$ 8 milhões para o GDF, quando totalmente implantada. Está orçada em pouco mais de R$ 2 milhões, por parte da iniciativa privada, com custo zero para o governo – como acontece em relação à grande maioria dos nossos projetos.

 

A partir de hoje, serão oferecidos 16 carros elétricos da Renault, sendo dois já adaptados com o software para fazer o transporte de servidores. Também serão instalados, por todo o DF, 35 pontos de recarga gratuitos e de uso coletivo.

 

O governador Ibaneis Rocha, destacou a importância desse projeto e afirmou que o desejo de seu governo é unir, tanto o setor púbico como o privado em ações diversas para que, assim, possam ser impulsionadas as novas tecnologias e o desenvolvimento desejado para Brasília. “O governo é para pobres e ricos, para beneficiar a todos, basta não atrapalhar”, destacou, em tom de descontração. Ele também informou que haverá isenção do IPVA dos carros elétricos pelos próximos cinco anos.

 

Relação com sustentabilidade

 

Para o secretário de Projetos Especiais, Everardo Gueiros, outra questão importante do projeto é o fato de a iniciativa incentivar entre a população o uso desse tipo de automóvel, que tem como grande vantagem sua relação com a sustentabilidade. Gueiros lembrou que a tecnologia do carro elétrico não emite o gás CO² (gás carbônico) e não gera fumaça tóxica, melhorando, assim, a qualidade do ar e a qualidade de vida da população como um todo.

 

Já o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal, Gilvan Máximo, destacou que o foco do VEM DF não se restringe somente à parte tecnológica, mas “principalmente, e essencialmente, a questões de economia financeira do cofre público do Distrito Federal”. E ressaltou os ganhos em termos econômicos que a iniciativa representa.

 

O presidente da ABDI, Igor Calvet, além de ressaltar as melhorias no meio ambiente com a circulação de mais carros elétricos, explicou que o governo do Distrito Federal só tem a lucrar a partir dessa tecnologia. “O GDF pode e vai economizar de forma considerável em seus gastos, abrindo espaço para o investimento em demais áreas”.

 

A solenidade foi realizada com a presença de secretários, servidores, técnicos de Ciência e Tecnologia, representantes da iniciativa privada e demais autoridades do Distrito Federal.

 

Assessoria de Imprensa da Sepe

Welerson Silva e Hylda Cavalcanti